Se não vai desembarcar na próxima estação, fique longe da porta.

terça-feira, 5 de maio de 2009

Sozinho no mar infinito

Num barco furado repleto de covardes, o menos covarde é herói. Não deixa de ser covarde por isso, mas, ao menos sobreviveu ou morreu tentando sobreviver. Ainda que tenha ficado sozinho no fim da novela. Ainda que ninguém tenha tido coragem para sobreviver com ele. Ou morrer com ele. Mas navegar é preciso, o espetáculo não pode parar e quem fica na porta atrasa a vida dos outros.

4 comentários:

Anônimo disse...

Eu sou a covarde que sobreviveu nesse imenso navio vazio. Milhões de mortos, todos ratos, afogados no mar.

Moacir das Candongas disse...

Bom, pelo menos você está livre dos ratos.

Ouvi dizer que eles transmitem doenças.

De Marchi ॐ disse...

É por isso que eu sempre levo comigo minha boínha de braço Regam!

Moacir Simples Assim ☭ disse...

Na minha opinião...